terça-feira, 17 de novembro de 2009

OS EMOS





Revendo algumas poesias que escrevi fiz uma reflexão, nelas só há temas infantis ou de adulto sentimental. Nada sobre jovens.Não me atrevo a escrever poesia para jovens, não saberia rimar amor com shopping Center. Talvez só jovem mesmo consiga.
Há algumas décadas e séculos atrás era bastante comum os jovens expressarem seus sentimentos através de poesias. Hoje, quem se atreve a fazê-lo é taxado de “EMO”. O termo “EMO” vem da palavra emotivo. Os “emos” se constituem uma tribo de jovens que misturam no seu visual as cores preta e rosa e usam os cabelos bem estirados, geralmente cobrindo o rosto.
Observa-se entre os jovens de outras tribos uma discriminação muito grande com os “emos”. Fato que por si só já deve ser combatido, pois, discriminação, termo ao qual o dicionário atribui o significado de discernimento; separação; distinção, no uso social é lhe conferido um poder que evoca a superioridade e a inferioridade entre as pessoas. Ou seja, discriminar torna-se a disseminação de uma semente do mal em toda a humanidade. Seus frutos são sofrimentos e até guerras.
Cabe aos pais estarem atentos. Não somente ao que seus filhos expressam, mas ao que há nas entrelinhas das conversas no “MSN” ou nas comunidades das quais participam no “Orkut” e ainda, nos “sites” que visitam, nos “fóruns” e tantos outros caminhos virtuais pelos quais eles as vezes se perdem e nós nos sentimos impotentes para alcançá-los. A sabedoria paterna e materna não está apenas em atualizar-se nas tecnologias ou em “fuçar” tudo o que os filhos andam fazendo. Mas, antes de tudo, está na firmeza dos elos familiares; nas portas de diálogos sempre abertas; nos espaços para gargalharem juntos; na cumplicidade com os seus conflitos emocionais; no apoio com as dificuldades escolares e nas discussões abertas sobre ética e moral. Certa vez um senhor bem humilde me disse sabiamente: “Na escola se aprende cultura, educação se aprende em casa”.
A preocupação com os “emos” não deve limitar na discriminação que estes sofrem. Mas, principalmente nos conflitos internos pelos quais passam. Sem maturidade para compreender os seus sentimentos, a maioria se envolve em relações homossexuais que, se bem orientadas por um adulto confiável, não passaria de uma fase sem muitas seqüelas.
O problema é que assistimos a esses jovens “emos” entregues a própria sorte, buscando nos amigos o apoio, o carinho e a compreensão que muitas vezes lhes faltam em casa. São jovens sensíveis que somente adultos sensíveis e responsáveis serão capazes de ajudar. Tanto aos discriminados quanto aos que, por incapacidade de discernimento próprio, praticam o crime da discriminação.

5 comentários:

*εïзBarbieεïз* disse...

MÃE que legal .__________. ,realmente você anda muito informada sobre esses assuntos! ate mais do q eu que estou nesse meio "jovem" ^^ continue assim! ♥

Jorge Guimarães disse...

Olha, escrevo, arrisco em falar de poesia, no entanto esta matéria é de tirar o chapéu, amei, meus parabéns pelo conteúdo, bem como pela fácil leitura, com inicio, meio e fim. estarei te seguindo, rsrsr veja o meu tb, ok?
beijos, seu amigo Jorge Guimaraes

Ivana disse...

Muito legal dona Ivana. Vc disse sabias palavras aew, e gostei muito da frase: “Na escola se aprende cultura, educação se aprende em casa”. É vdd. Um bom dialogo em ksa, faz com que nós jovens (se q ainda posso me considerar uhauahhua. 21 anos pesando XD) possamos passar pelas adversidades da vida. Nunk fui emo, nunk serei, mas conheço primos e amigos q entraram p/ esse lado por falta de um apoio em ksa. ^^ Muito legz seu blog XD

Anônimo disse...

Muito bom minha amiga! Parabéns pelo texto.
Vc tem uma escrita de fácil compreensão e envolvente, é gostoso ler seus escritos.Vou recomendar a leitura aos meus alunos e amigos. Bj.Eline.

All Star On-Off -Frizzy disse...

ENTRAN NO MEU BLOG: www.allstaron.blogspot.com.br

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...