sábado, 13 de março de 2010

COMO SER ADULTO SEM SE PERDER DE SI?


A duras penas amadureci. Tarde. Incompletamente. Muitas coisas nunca aprendi. Não me preparei. Andei errante por esse mundo adulto, incostante.

Aprendi que não há um dia de "eterna paz".

Que sempre haverá uma louça suja.

Que a casa nova precisará ter os telhados trocados daqui a algum tempo.

Que os móveis, por mais caros e belos, perdem a cor e apodrecem.

Que o alimento comprado acaba rápido demais.

Que a cada fim de mês, após tantas contas pagas, tão pouco nos resta que ficamos rezando para chegar mais rápido o final do próximo.

Que até o amor, que parece eterno, se não cultivado, pode acabar.

Que as pessoas, mesmo as mais queridas, vem e vão, independente da nossa vontade.

Vejo a vida como uma novela, ou um filme. Todos nós assumimos personagens. Apenas as crianças são quem são.

Aprendi ainda,que as crianças envelhecem.

Que é mais fácil aceitar a velhice dos outros que a nossa.

Que adultos mentem, enganam, se enganam, fingem que não sentem.

Que as vezes também se aprende a não sentir.

Adulto, eu descobri, vive sob tantas normas, regras, cerimônias e protocolos que geralmente orienta não ser educada a espontaneidade.

Há os que assumindo um dos papeis de adulto o faz com tanta convicção de bom ator que julga a si próprio dono das verdades que proclama, subjulgando as opiniões alheias.

Nesse mundo, é bem maior o risco de se peder do que de se achar.

È preciso ao nascer ser cultivado em terreno firme, bem cuidado, amado e orientado para aprender a consciliar razão e sentimento. Para aprender a assumir os papéis necessários sem permitir-se deixar de ser o que se é verdadeiramente.

É preciso crescer e envelhecer, sem nunca deixar de ser a criança que há por dentro.

6 comentários:

Javier disse...

Acho que a criança dentro de cada uma, a única coisa que dura para sempre.
Mas muitas vezes se torna uma criança travessa.
Nós precisaríamos de viver uma outra vida para ter tempo para aprender.
É uma suposição.
----
Creo que es el niño que hay dentro de cada uno lo único que perdura siempre.
Pero muchas veces se vuelve un niño travieso.
Necesitaríamos vivir otra vida más para tener tiempo de aprender.
Es una suposición.

Nádia disse...

è amiga, essa vida não é fácil, guando criança é uma maravilha..... mas quando crescemos não tem jeito, aparecem todas as preocupações possíveis e impossíveis. Sorte daquele que conserva esse lado criança sem limites, sem medo. Continue com este seu lado sempre, pois nós adoramos, sem ele não seria você, bjos no coração.

Anônimo disse...

Compaheira, ser criança é muito bom...mas com tantos problemas, ser adulto ainda é bem melhor...você hem cada dia me supreende mais com suas lindas poesias,adorei.beijos

elora disse...

Amei, muito legal, nada fácil a sua vida, mas tenho que descordar de uma coisa... eu te ajudo, as vezes, nem sempre, sou a que mais ajudo \o' kkk
sempre que posso. (L)
te amo minha escritora favorita :B

arissa disse...

Qdo somos crianças pensamos que seremos felizes qdo formos adulto, ai qdo somos adulto percebemos q bom mesmo era ser criança... Temos é q aprender a as coisas boas da vida, que Deus nos proporciona todos os dias!

Priscila Rodrigues disse...

Adorei, querida.

A vida é assim depois que crescemos, tudo que eram flores se transformam em espinhos.

O bom é saber que ainda existem pessoas boas e não há mal que dure eternamente. A vida nos reserva coisas boas, basta saber aproveitá-las.

Lindo texto.

Beijos.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...