segunda-feira, 19 de abril de 2010

POESIA: Máquina sem rima




Há tempos não escrevo aqui
é que ando meio perdida de mim
vivendo da labuta
repondo o que se acaba
remendando o que se quebra
limpando o que se suja
Os dias têm sido iguais
Nunca mais reparei no céu
Meus olhos estão no relógio
O tempo é meu comando
Voltarei aqui novamente
quando me fizer humana de novo
antes que a máquina dê pane
Espero que seja breve

Um comentário:

Tenilma disse...

amiga,

sei que faz uns dias que vc estava se sentindo assim, mas hoje olhe a lua e com certeza sua energia se renovara.

beijos

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...