sexta-feira, 8 de abril de 2011

OS DESAFIOS DA ARTE E DE ESCREVER


Alguém certa vez me disse que escrever era semelhante a arte de pintar um quadro, se inicia com uma ideia e pelo caminho ela vai tomando vida própria, juntando-se a outras, adquirindo formas e no final, - voilà! – A sua idéia inicial está toda transformada!


É quase impossível de se acreditar que obras de arte tão perfeitas como as que vemos por aí tenham alguma fuga do domínio do artista.

 

 Penso que o mais importante, considerado pelo artista, é conseguir manter a essência.

 

É por isso também que quando escrevemos lançamos mão da revisão, de aparar as arestas e de escolher melhores palavras para alcançar o fio condutor. O que, no caso do pintor, certamente, faria mergulhando o pincel em outras cores.

 

Compreendi que na escrita, assim como na pintura, não está em jogo apenas a criatividade, mas também a técnica. Esta é tão primordial quanto à primeira para a obra expressar de forma harmoniosa a mensagem do criador.

 

A técnica que me refiro não é somente relacionada aos conhecimentos ortográficos e gramaticas, mas o domínio sobre as palavras para que elas expressem exatamente o que queremos dizer ou, ainda mais difícil, o que estamos sentindo.

 

Outra hora, penso que escrever é semelhante à atividade de dirigir um automóvel. No inicio experimentamos total insegurança. À medida que treinamos e nos exercitamos no volante, vamos reconhecendo a nossa capacidade, adquirindo mais domínio e, consequentemente, mais confiança para enfrentar maiores desafios no trânsito e na literatura.

 

Uma coisa muito legal também é reconhecer o quanto as experiências de outras pessoas são importantes para o nosso aprendizado.


Escrever é um ato de humildade, um reconhecimento de que nunca alcançamos o ideal, que sempre podemos melhorar.  E melhoramos à medida que nos inspiramos no outro, que nos colocamos no lugar de admirador.

 

Descobri que a leitura do que o outro escreve é o principal alimento para o meu aprendizado como escritora.

 

 

Escrever, pode até ser considerado por muitos como um dom, mas verdadeiramente trata-se do exercício de uma paixão.

 

 

Já nem sei mais se esse texto está do jeito que eu planejara. Lembro vagamente que pretendia expor sobre a importância do tamanho do texto, considerando os leitores e o veículo utilizado e sobre a escolha do título, para instigar o interesse das pessoas, essas e outras coisas que nem cheguei a falar.

 

Só tenho a certeza de que consegui comentei sobre os desafios da arte de escrever, e era exatamente isso que eu queria registrar quando tive a ideia do texto.

12 comentários:

Néia Lambert disse...

Ivana, acredito que escrever é mesmo juntar tudo isso que vc disse, um texto muito bem inspirado, porém mal escrito ficaria horrível ou algo redigido corretamente mas sem nenhum conteúdo também seria inviável. Então até nisso o bom senso deve imperar e sempre digo para quem está iniciando nessa arte que quanto mais se le, melhor se escreve.

Beijos

Ivana Maria disse...

Muito bem dito Néia, "...quanto mais se le, melhor se escreve." É uma pena que a maioria dos jovens tenham preguiça de ler. Acredito que nós (pais e professores) tenhamos a nossa parcela de culpa nisso. Obrigada pela sua contribuição aqui. Um abraço.

vovo cibernetica disse...

Concordo plenamente com o que está escrito no seu texto que é de muita sabedoria.Escrever é transmitir sentimentos. Como foi comentado quanto mais se lê melhor se escreve o exercicio da leitura abre o entidemento da escrita.Escolheste
bem o titulo do texto.
Vai aqui o meu abraço

Chimarrão disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Chimarrão disse...

OLA IVANA!! CHAMEI MEU FILHO PARA LER O COMENTÁRIO, SEU E DE SUA LEITORA. N/ CONSIGO FZER ELE TER GOSTO PELA LITERATURA. MAS VOU CONSEGUIR. E O GRIFO "QUANTO MAIS SE LÊ MELHOR SE ESCREVE", FOI INSISTENTEMENTE COLOCADO PARA ELE. POR ISSO PENSO QUE VOU CONSEGUIR. NÃO ME ENTRA NA MENTE QUE OS JOVENS NÃO QUEIRAM SABER MUITO SOBRE A LITERATURA QUE LHES ENCAMINHARÁ PARA A VIDA. SINCERAMENTE VEJO E SINTO QUE O MOMENTO ATUAL NÃO TEM MUITO A VER COM NOSSA JUVENTUDE. TÍNHAMOS OUTROS IDEIAIS. OU SERÁ QUE NÃO??

ABRÇS

Ivana Maria disse...

kkkkkkk,desculpa amigo Gilmar, não pude conter o riso, acho que o drama de assistir o desinteresse do filho pela leitura é realmente comum a todos nós. Acredito realmente que a nossa geração, realmente, descobria o mundo através dos livros e revistas, hoje, a geração dos nossos filhos, o fazem através da internet, principalmente. O que não é totalmente ruim nem, verdadeiramente é bom, porque esses novos meios de informações, normalmente, entregam as coisas prontas, sem espaço para imaginação ou reflexão aprofundada. Isso sem falar no próprio desenvolvimento da escrita. Mas, até ela, está entrando em um novo processo. Um abraço. Um beijo também para a nossa amiga em comum D. Águida.

Jeanne disse...

Cada vez mais o conceito de dom fica ultrapassado. usaste a palavra paixão, e esta define bem quem persegue fazer algo bem feito. a inspiração ou criatividade, é o ponto de partida, o resto é muito trabalho. como diz meu irmão, um grande artista, 1% é inspiração e 99% é transpiração...
Beijos

Fátima Mota disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
Fátima Mota disse...

A arte de escrever está exatamente aí, no fio condutor que leva o leitor a querer mais, a conjecturar e procurar respostas. Em algumas ocasiões o óbvio é o menos indicado, a não ser que seja esta a proposta do autor. Sabe aquela inquietação que sentimos? Aquela insatisfação sobre o que escrevemos, querendo sempre mais e melhor? Vi isto no teu texto, gostoso de ler e, muito bem escrito. Tens razão, com muita leitura, lapidamos a arte da palavra. Dom e técnica, transpiração e o resto vem com tempo. Ah! Também tornei-me tua fã.

Remédios disse...

Bom dia minha amiga! Acho essa comparação muito certa e me remete também a uma colcha de retalhos e a tudo na vida, a própria vida. Os ingredientes ou componentes, sei lá, estão todos desordenados mas alguém principalmente com uma boa dose de paciência consegue por tudo no lugar certo e pronto, temos um belo resultado a nossa frente como no caso de seus textos que dá vontade de não parar de ler.Sabe gosto de quero mais...rsrsrs?E isso aí. bjssssssss

Ivana Maria disse...

O prazer de escrever só é superado pelo prazer de ver que pessoas leram e gostaram do que fizemos. Sou muito grata a essas amigas maravilhosas Jeanne, Fátima Mota e Remédios que dedicaram um pouquinho do seu tempo para deixar um pouco das suas sabedorias aqui, colaborando comigo e enriquecendo o meu Blog. São pessoas muito queridas que têm excelentes trabalhos publicados nos Blogs que eu sigo. bjs para todas.

lusinez disse...

Oi! Acho mesmo que escrever é um dom, e que mesmo gostando de ler, como no meu caso, gosto muito de ler, não consigo ficar sem ler um bom livro, tanto é que quando estou terminando de ler um livro do qual tenha gostado (pode rir) fico lendo bem devagarzinho e olhando que já está quase no final, ai vou deixando a pág seguinte pro outro dia, horrivel né? mas vezes faço isso mesmo, e escrever, há acho que as vezes que é um trauma dos tempos do grupo escolar, sei-la, não consigo mesmo.
Mas é a vida, já pesou se todos tivessem todos os dons? Acho que não seria muito bom, o bom é poder compartilhar com os outros, trocar experiências.
Xero bem grande pra minha irmã escritora que desde muito cedo gostava de ler e de escrever, um dia vamos ver seus artigos em uma revista ou jornal ou em um livro. Vc merece.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...