sexta-feira, 20 de maio de 2011

LEVAR O CARRO PARA A OFICINA PODE SER UMA ARMADILHA


http://jusandres.files.wordpress.com/2010/08/algumas-ferramentas-5111.jpg
Gostaria de estar aqui cantando afinadamente como o Rei,
– “Mandei meu Cadillac pro mecânico outro dia...” 

Mas a verdade é que não consigo. Não por ser desafinada, isso até que não sou, mas, mandar o carro para o mecânico é para mim uma experiência que me motiva mais a chorar do que a cantar.

Nesta terça-feira passada a minha filha saiu com o meu carro para a faculdade a noite e me ligou ainda do caminho para avisar que o mesmo havia “morrido”.

Felizmente, com ajuda do seu pai, santo ex-marido (que Deus o conserve assim, bem longe de mim), conseguiu sair do prego, ir para a aula e voltar para casa.

No dia seguinte inicia-se o velório, ou melhor, o calvário para consertar o carro.

Esse negócio de escolher oficina é semelhante à escolha de médico, há sempre quem indique “um bom” e no final você acaba experimentando vários e concluindo que o que é bom para os outros nem sempre é para você.

No alto da minha experiência, uma coisa eu já posso aconselhar – Evite ir a mecânico indicado por amizade. Você sempre corre o risco de sentir-se constrangido de duvidar da honestidade da V. Exª.

Dizem que se a cliente for mulher é bem pior, está fadada a ser enrolada. Os motivos para isso vão desde o fato dela entender pouco de mecânica, a maioria não entende nada mesmo, e também por ser, geralmente, ingênua e confiar prontamente nos diagnósticos do “profissional”.

Em relação a essa ultima hipótese, ser ingênua, eu faria um conserto nela, aliás, eu diria, aproveitando o trocadilho, que já nos consertamos bastante para evitá-la. Trata-se na verdade, de um constrangimento em transparecer que duvidamos da outra pessoa.

Então, o mais indicado é isso – Recorrer a um mecânico com uma postura totalmente profissional, capaz de compreender o seu direito de ser totalmente esclarecida a respeito do serviço e das peças que serão substituídas ou reparadas; o seu direito de pesquisar preços menores em outras oficinas e lojas de peças e o direito de ter as peças retiradas do seu veículo devolvidas a sua pessoa para fazer delas o que bem entender.

Essa lição, estou ainda aprendendo. Facilitaria se a maioria dos profissionais fosse honesta.

Nesse episódio atual, estou me sentindo encurralada por um mecânico apresentado a mim como uma pessoa de total confiança que passou um orçamento por telefone que já ocorreu dos R$ 700,00, previstos inicialmente, para os R$ 1.490,00 como orçamento final. Isso para, segundo ele, - “Deixar o meu carro não do jeito ideal” – já que eu aleguei não ter condições para gastar muito – “Mas, apenas, para fazer o conserto básico”.

Dizem que Santo Elói é o protetor dos mecânicos. Eu pergunto - E qual será o santo que nos protege deles, hein?


3 comentários:

Madame Sucralose disse...

Oi Ivana,
Adorei te conhecer, adorei seu blog ... Que bom que aceitou tomar um cafezinho comigo.
Beijocas da Madame Sucralose

vovo cibernetica disse...

Ivana essa queixa com relação a oficina mecânica é geral Não passo por isso por que não possuo carro mas ví muitas vezes essa mesma reclamação do meu esposo e dos filhos. Não é só mulher que os mecanicos procuram enrolar. Dizem que precisa trocar peça quando na verdade só conserta a existente, por isso é importante pedir a peça trocada Amiga voce é uma vencedora. um Xeiro

Do que eu gosto... disse...

Oi Ivana!
Pense em um prestador de serviço complicado é a categoria dos mecânicos seja autônomo ou nas assistências! E com mulher então nem se fala! É rezar para não ter problema, embora se vc os tem com o carro na garantia muitas vezes eles ficam enrolando para só "ver" o defeito quando sai da garantia. Conheço quem já passou por isso. É preciso muuuuuiita paciência!
Beijo e ótimo final de semna!

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...