quinta-feira, 9 de fevereiro de 2012

O CÂNCER DA VIOLÊNCIA


“Eu olho nos olhos desse "delinquente" e vejo no que "uma criança" pode se transformar em uma sociedade doente como a nossa. Daí a ferida acaba se abrindo e virando um câncer terminal que atinge a todos nós.”.

Esse foi o comentário que consegui fazer na foto publicada no facebook, do adolescente que participou de um assalto a uma padaria da nossa cidade no dia de ontem, deixando vários feridos a tiro e uma jovem paraplégica.

Acima do meu comentário, vários outros demonstravam o sentimento das pessoas diante de tanta violência e brutalidade cometida.  Desejar que ele “apodreça na cadeia” é um resumo do que se passa na cabeça de um cidadão que se vê acuado e em papeis invertidos, ou seja, ele morando “atrás das grades” dos portões e muros altos das suas casas, enquanto seres que há muito perderam o caráter humano, rondam à espreita para atacar sem dó nem piedade para roubar, muitas vezes, objetos que sequer valem o desconforto e os traumas causados pela violência, que dirá a vida humana ceifada com tanta crueldade, como se tem assistido.

Esperar que a policia dê conta de todo esse “lixo” que produzimos durante anos e anos de descaso com as nossas crianças, nossos jovens e, principalmente com a população mais carente da nossa sociedade é atribuir a uma só categoria a responsabilidade que pertence a todos nós.

Sim, é verdade que quando se transforma em “câncer” muito pouco podemos fazer. Mas, ainda assim, se houvesse uma politica correta de reabilitação de presos, muitos deles poderiam se recuperar e ter uma nova chance para refazer a sua forma de viver.

De tudo o que o governo poderia fazer “e não tem feito” investir na educação e cuidados com as nossas crianças e as suas famílias é ainda a única vacina capaz de evitar essa doença chamada violência que aos poucos vem se tornando uma epidemia, levando a vida de muitas pessoas inocentes e deixando um sofrimento profundo nos que ainda sobrevivem a ela.

E não devemos esquecer de uma coisa: “O governo”...? Somos nós. Lá estão os representantes que nós elegemos. Assim, muito cuidado com os critérios que você usa para atribuir seus votos, para que o arrependimento não venha tardio e reste a nós apenas o sofrimento.

9 comentários:

ELAINE disse...

Ôi! Passando pra convidar! Tem post novo e presente muito especial! Vem! Cada coração amigo conquistado, é mais uma luzinha a iluminar a nossa estrada! Uma 6ªF radiante e abençoada! Abraço fraterno e afetuoso! Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/

Enigmático Byjotan disse...

Nesta análise, nua e crua, da nossa realidade, você nos apresenta os dois lados do desequilíbrio social.Nos leva a refletir até que ponto somos culpados, ou no mínimo coniventes, com este desajuste das ruas ou dos nossos lares.Temos sim que fazer nossa parte.Obrigado pelo sério convite a reflexão e a mudança de postura.Beijo,beijo,beijo de leitor e fã.:-BYJOTAN.

Jeanne Geyer disse...

totalmente correta tua análise, somos todos responsáveis. infelizmente não vejo saída para esta situação tão cedo. a gente vai colocando grades, evitando de sair à noite, nas ruas sempre segurando a bolsa firmemente. Liberdade de ir e vir? só no papel, na prática estamos prisioneiros de nós mesmos, sociedade doente...
beijos

Ivana Maria disse...

Enigmático Byjotan é uma daquelas pessoas que assim que conhecemos percebemos uma afinidade e passamos a cativar. É um prazer tê-lo nessa reflexão. O Blog dele é lindo, de muito bom gosto e sensibilidade. vale a pena conhecer.

Ivana Maria disse...

Também tenho que concordar com Jeanne, "não vejo saída para esta situação, tão cedo". Isso é mesmo muito triste e desesperador.

Graça Pereira disse...

Cada vez mais a sociedade apresenta estes casos de violência, aí, como aqui e julgo que em quase todos países ditos "avançados"! Há muito pouco tempo, não sucedia este problema em Portugal...O que mudou afinal?Foram aberrações que surgiram, mentes perturbadas, pais que educaram e formaram mal os seus filhos? O povo costuma dizer: "Casa aonde não há pão, todos ralham e ninguém tem razão" Pois é: faltou o pão, o emprego, o sonho no futuro, a esperança morreu mas o corpo, continua vivo e precisa de alimento!
A sociedade criou pelas suas próprias mãos esta chaga que se espalha e só terminará, quando se fizer claro dentro de TODOS que, a solução,passa pela vontade de cada um.
Beijo
Graça

ELAINE disse...

Muito obrigada pelo carinho! Excelente início de semana! Bjãozão no coração! Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/
http://www.dihitt.com.br/elaineaverbuch
http://twitter.com/@elaineaverbuch

Ivana Maria disse...

Ah, Graça Pereira, Como era bom se a gente tivesse aqui compartilhando coisas boas em comuns... Basta ligar a tv, a qualquer momento, que começa as noticias de violencias em todo o mundo. Mas, existe aquele ditado: "Enquanto há vida, há esperança." E cada criança com quem contribuímos para a sua educação é uma nova esperança para o mundo. Um abraço.

ELAINE disse...

Ôi! Passando pra convidar! Tem post novo e presente muito especial! Vem! Cada coração amigo conquistado, é mais uma luzinha a iluminar a nossa estrada! Uma terça-feira radiante e abençoada! Abraço fraterno e afetuoso! Elaine Averbuch Neves
http://elaine-dedentroprafora.blogspot.com/
http://www.dihitt.com.br/elaineaverbuch
http://twitter.com/@elaineaverbuch

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...